Sede da RPC-TV de Maringá sofre atentado durante madrugada

publicado em 29/08 às 19h04



A sede da Rede Paranaense de Comunicações (RPC-TV) de Maringá, no Norte do Paraná, foi alvo de um atentado na madrugada desta segunda-feira. A recepção do prédio foi atingida por 12 tiros e, segundo testemunhas, dois homens que estavam em uma moto foram os autores dos disparos. Ninguém se feriu.

Os vidros da sede da afiliada da Rede Globo ficaram quebrados e as paredes da cozinha foram marcadas pelos disparos. Peritos da Polícia Civil já recolheram as provas e aguardam imagens das câmeras de vigilância para ajudar a identificar os criminosos.  O secretário de segurança pública do Paraná, Reinaldo de Almeida Cesar, determinou que o atentado seja investigado.

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) se manifestou em nota sobre o caso e repudiou a ação criminosa contra a RPC-TV. O presidente Emanuel Soares Carneiro fez um apelo às autoridades pedindo a imediata investigação sobre o atentado e reforçou a necessidade de identificar os responsáveis.

A nota considera que “a ação criminosa é uma evidente tentativa de intimidação ao veículo de comunicação que é reconhecido por sua linha editorial independente e o seu compromisso com os interesses da comunidade”.

A entidade “repudia com veemência” o ataque a emissora e “insiste na necessidade de que as autoridades assegurem às empresas de comunicação e a seus profissionais o direito ao livre exercício da atividade jornalística”.

Na opinião de Carneiro, tão importante quanto agravar as penas para crimes cometidos contra jornalistas é garantir a investigação, o esclarecimento e a identificação dos responsáveis. “A Abert espera maior compromisso dos poderes públicos com o esclarecimento desse tipo de crime”, afirma.

Segundo atentado em um mês

O delegado chefe da 9ª Subdivisão de Polícia Civil, Osnildo Carneiro Lemes, acredita que o atentado à sede da emissora de TV esteja ligado ao da Câmara de Vereadores, ocorrido há um mês. Segundo ele, nos dois casos o modo de operação foi igual: homens em uma moto efetuaram os disparos com uma pistola 9 mm.

No dia da ação criminosa, o prédio da Câmara foi alvejado com cerca de 10 tiros. Imagens da câmera de vigilância mostram que os disparos foram feitos por dois homens que estavam em uma moto de cor escura. Até o momento, ninguém foi preso.

Assassinatos de jornalistas

Um relatório divulgado pela Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) aponta o Brasil como um dos países com maior número de assassinatos de jornalistas no primeiro semestre de 2011. O ranking é liderado pelo México, com cinco mortes, seguido do Brasil e de Honduras com quatro casos cada. Ao todo, foram 19 assassinatos na América Latina.

Fonte: ABERT