Prefeito de Londrina confirma interesse em rádio, mas nega propina

publicado em 03/06 às 13h27

O prefeito de Londrina, Barbosa Neto (PDT), confirmou o interesse em adquirir uma emissora de rádio em Apucarana, fato que desencadeou uma investigação da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de suposto enriquecimento ilícito. Apesar disso, nega que tenha cometido qualquer irregularidade e afirma que a proposta para aquisição da rádio Tribuna Soft FM incluiria imóveis e não dinheiro.

 

À rádio Brasil Sul AM, o prefeito alegou, como vem fazendo diante de todas as denúncias que recaem sobre a administração, que foi vítima de uma armação de opositores, como o vereador Joel Garcia. Este é inimigo declarado de Barbosa Neto e foi um dos responsáveis por embasar os indícios de corrupção investigados pelo Ministério Público.

"Denúncia anônima ou denúncia de vereador condenado duas vezes já pela Justiça por um colegiado de magistrados vem à tona com sérios interesses de nos desgastar, fazer invenções, e mais, colocando nomes de pessoas que às vezes não têm nada a ver com a história. Eu não posso negar que sou amigo do Sérgio Malucelli, sou amigo também do Wilson Vieira, mas que não há verba pública, não há conluio, não há nenhum tipo de interesse de me beneficiar, inclusive é só verificar a evolução do meu patrimônio", disse.

 

De acordo com o promotor Renato de Lima Castro, Barbosa Neto e o empresário Sérgio Malucelli, gestor do Londrina Esporte Clube, teriam tentado adquirir a emissora de Apucarana por R$ 4,5 milhões. Parte do dinheiro teria vindo do pagamento de propina de R$ 1 milhão da empresa Vega Sopave para vencer a licitação da coleta de lixo, atulmente suspensa pela Justiça.

À emissora de sua família, a rádio Brasil Sul AM, o prefeito disse que "infelizmente, a gente vê que a temporada de caça ao Barbosa Neto continua". Ele ainda afirmou que teria oferecido imóveis ao proprietário da emissora de Apucarana, negando a utilização de dinheiro público ou de propina.

"É bom frisar que essa negociação, nós tivemos com a emissora de rádio da cidade de Apucarana, nós não conseguimos prosperar porque nessa negociação a proposta envolvia imóveis em uma sociedade e não entrava dinheiro", alegou.

O Ministério Público investiga a denúncia e deve convocar o empresário Sérgio Malucelli para depor.

Fonte: O DIÁRIO