Rádio Vaticano reporta "ódio anticatólico" após casos de pedofilia

publicado em 07/04 às 01h23

A Rádio Vaticano informou nesta terça-feira que na Europa já se registram casos de manifestações de ódio contra a Igreja Católica, o que de acordo com o meio de comunicação seriam reflexos da "campanha da mídia de ódio anticatólico", no momento em que a Igreja está mergulhada em uma série de escândalos de pedofilia ao redor do mundo.

A rádio disse que mensagens anticatólicas foram grafitadas nos muros de uma igreja na Itália; que o bispo de Münster (Alemanha), monsenhor Felix Genn, foi agredido durante uma missa de Páscoa, e que grupos de manifestantes e também indivíduos protestaram durante as celebrações da Semana Santa com insultos e outros atos em diversos pontos da continente europeu.

O órgão oficial do Vaticano saiu em defesa da Igreja indicando o que considerou casos semelhantes de "campanhas" contra a instituição no passado.

"Já na Roma antiga, os cristãos eram acusados de crimes horríveis, de infanticídios e de canibalismo. Assim era compreendida a eucaristia... e de relações incestuosas, como era considerado o abraço de paz ritual entre irmãos e irmãs", afirmou a rádio.

Na visão da rádio, os reflexos vistos séculos atrás poderiam se repetir. "A multidão, revoltada pelas calúnias dos poderosos, linchava os cristãos", indicou.

Fonte: Folha Online