Pesquisa traça panorama de rádios brasileiras

publicado em 22/04 às 15h47

Uma pesquisa da Universidade de Brasília (UnB) está avaliando a situação tecnológica atual das rádios brasileiras que devem, a médio prazo, migrar para o padrão digital. O Ministério das Comunicações (Minicom) avalia dois padrões internacionais: o europeu DRM e o norte-americano IBOC. A expectativa é de que a escolha do novo sistema aconteça ainda este ano, com base nos critérios definidos na portaria elaborada pelo ex-ministro das Comunicações, Hélio Costa.

Para a realização do estudo, uma equipe formada por professores do Laboratório de Políticas de Comunicação da UnB montou um questionário e entrou em contato com 5.500 rádios de todo o país. Desde o início do ano passado, cerca de 800 emissoras já colaboraram com a pesquisa, que conta com o apoio da Abert.

Segundo o coordenador do estudo, o professor Carlos Eduardo Esch, os dados obtidos servirão de base para a implantação de políticas públicas de apoio à radiodifusão. “A pesquisa irá gerar um conjunto de informações que permitirão estabelecer estratégias para o setor”, afirma. Para o presidente da Abert, Daniel Slaviero, o levantamento é valioso, porque permitirá o conhecimento atualizado e amplo sobre o setor. "A participação das emissoras é fundamental para enriquecer este estudo", afirma.

O questionário aborda temas como as condições técnicas, operacionais e espaciais das rádios. Além disso, traz questões sobre a análise que o radiodifusor faz do momento atual de transformação tecnológica do setor, e as possibilidades de investimento para fazer a adaptação ao padrão digital. A expectativa é de que, até o fim deste ano, sejam respondidos pelo menos 2000 questionários. Mais informações no site www.fac.unb.br/lapcom

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Abert