RCTV completa três anos fora do ar

publicado em 01/06 às 15h54

Há três anos, a Radio Caracas Televisión (RCTV), a mais antiga emissora da Venezuela, encerrava suas transmissões, por determinação do governo de Hugo Chávez. Nesta quinta-feira, a Associação Internacional de Radiodifusão (AIR), que representa mais de 17 mil emissoras de rádio e TV nas Américas, Europa e Ásia, distribuiu nota lembrando a data.

“Completa-se hoje três anos do fechamento arbitrário da RCTV na Venezuela, o que representa um dos mais graves atentados contra a liberdade de expressão naquele país e na América Latina”, afirma a nota.

A AIR reitera os termos da resolução aprovada no último dia 13, por seu Conselho Diretor, em reunião realizada em Buenos Aires. O documento condena o “crescimento e sistemático enfraquecimento da liberdade de expressão  na Venezuela”, a “hostilidade permanente de altas autoridades do Estado contra jornalistas e meios de comunicação”, e o “fechamento arbitrário e inconstitucional de meios de radiodifusão, resultado de grande deterioração da democracia e da convivência” no país.

Em seu último dia no ar, um domingo de maio de 2007, a RCTV apresentou um resumo de seus 53 anos, com a participação de atores, animadores, jornalistas e técnicos, que aparecem diante de uma bandeira da Venezuela, criticando o presidente venezuelano pela decisão arbitrária.

Milhares de venezuelanos protestaram contra o fechamento da emissora com um "panelaço" nas ruas de Caracas. A manifestação contou com apoio de artistas, jornalistas, militantes políticos de diversos grupos. O presidente, que acusara a RCTV de ter apoiado o golpe de Estado contra ele em 2002, manteve sua decisão de não renovar a concessão do canal.

Segundo pesquisas, mais de 70% dos venezuelanos reprovam o fechamento da RCTV, um canal muito popular por seus programas, novelas e jornalismo. Chávez justificou a medida ao afirmar que "os donos da rede de televisão privada tinham um plano para sabotar o sinal do novo canal".

Paralelamente, a Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) renovou a concessão, na sexta-feira, da principal concorrente da RCTV, a Venevisión, do magnata Gustavo Cisneros, que amenizou seus ataques à Chávez desde a reeleição do presidente, em 2006.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Abert